Não. O procedimento realizado para clarear os dentes não os estraga, nem os enfraquece. Mas vamos entender um pouco mais como funciona esse tratamento:

 

É comum o consumo diário de alimentos que apresentam corantes, ou possuem uma pigmentação considerável. Além de alimentos, temperos e bebidas , podemos citar cigarros, goma de mascar e até colutórios (soluções antissépticas que utilizamos como complemento da higienização oral). Com o passar dos anos nossos dentes também vão pigmentando, deixando-os amarelados. O clareamento auxilia o retorno à cor natural dos nossos dentes, através de um “gel”, a base de peróxido (em geral, de carbamida ou de hidrogênio).

 

 O clareamento pode ser feito em consultório ou em casa, pelo próprio paciente. O que diferencia é o tipo de procedimento e a concentração do gel utilizado.

 

O clareamento de consultório é realizado com a supervisão do cirurgião-dentista; como a concentração do gel utilizado é maior, para evitar danos às gengivas e às demais estruturas da cavidade oral, devem ser feitas barreiras para os protegerem.  É utilizada uma luz fria (led) ou laser para acelerar a ação do gel. O clareamento em consultório, em geral, é feito em 2 ou 3 sessões, de aproximadamente 60 minutos cada.

 

O clareamento caseiro, como o próprio nome diz, é feito pelo próprio paciente. Através de uma moldeira de silicone individualizada, o paciente aplica o gel fornecido pelo dentista, geralmente em seringas de 3 ou 5 ml. A moldeira pode ser utilizada durante o dia ou à noite, enquanto o paciente dorme, já que o ideal é que o gel esteja em contato com os dentes por aproximadamente 5 horas contínuas por dia, dependendo do gel utilizado. O clareamento caseiro, em geral, tem duração de 10 a 15 dias.

 

Durante o tratamento, produtos e alimentos que contenham corantes devem ser evitados, como por exemplo: cigarros, vinhos, shoyo, sucos de uva, molho de tomate, refrigerantes, etc.

 

Muitos pacientes perguntam sobre a sensibilidade causada pelo tratamento de clareamento. Algumas pessoas podem apresentar sensibilidade dentinária e alguns dentes doloridos. Isso pode acontecer pela presença de raízes expostas por retração gengival, excesso de gel, pequeno intervalo entre as sessões, entre outros fatores. Sempre que surgirem sintomas, consulte o cirurgião-dentista.

 

Dra. Daniela Cristina Dal Colletto

 

 

 

Duvidas? Comentários? Deixe aqui sua mensagem: